sexta-feira, 20 de abril de 2018

Mãe, eu também sinto a sua falta!



Uma carta para a minha, e todas as mães que “perderam” seus filhos para o mundo.

Mãe, não sei nem por onde começar, pois sei que você sofre com a minha ausência. Sei que as vezes quando está sozinha no quarto, e meu pai não está com você, lágrimas de saudades correm dos seus olhos. Saber disso me mata por dentro.

Sei que as vídeo-chamadas não suprem um abraço apertado. Que as mensagens de WhatsApp não suprem nossas longas conversas no sofá antes de dormir. 

Te peço desculpas se um belo dia resolvi mudar, sair de uma vida que não me completava. Desculpa por ter me encontrado aqui do outro lado do oceano. Por ter encontrado uma vida tranquila e feliz. As vezes me sinto até culpada por me sentir tão feliz aqui, porque sei o quanto você sofre.

Queria só que você soubesse de uma coisa: eu também sinto uma puta falta de você. Penso em você todas as noites antes de dormir. E quer saber de outra coisa? As vezes sonho que estamos juntas, que estamos todos reunidos à mesa no domingo pra comer sua deliciosa lasanha. Mesmo sonhando, consigo sentir o mesmo cheiro de quando ela saía do forno.

Também sinto falta de acordar no sábado de manhã e tomar um cappuccino comendo pão de queijo com você no posto perto de casa. Éramos somente eu e você! Conversávamos sobre tudo, afinal você sempre foi a minha única melhor amiga. Só você sabe tudo sobre mim. 

Sinto falta da sua pele macia, do seu colo, do cheiro do seu travesseio, das suas manias de acumular tudo que você tem. Aquele armário no canto direito da cozinha ainda é cheio de potinhos sem tampa? Lembra como me irritava quando não conseguia achar a tampa certa de cada potinho? Ou quando ia pegar um deles e todos os outros potinhos caiam na minha cabeça?

Quero que você saiba que penso sempre em você, quando me olho no espelho, vejo a tua imagem na minha, quando cozinho queria muito que você visse, para se orgulhar da menina que fazia somente miojo e ovo cozido e que hoje faz risotos e pratos italianos um pouco mais complicados - graças às receitas que pego na internet. 

Sinto falta da sua voz, pessoalmente, não aquela de celular, não aquela de mensagem de voz, mas sua voz, mesmo quando estava brava comigo, qualquer voz.

Sim, mamãe, também sinto sua falta, e muita, é isso não mudará jamais!

Te amo!